A força dos tentáculos

Consumo de polvo é crescente no país

polvos consumo

Essa iguaria que domina o fundo do mar, o polvo, também tem começado a dominar o prato dos brasileiros. Na culinária do Brasil, ainda é pouco comum, mas tem crescido sua procura por ter uma carne macia, de textura elástica e bastante saborosa. Esse molusco é muito popular no Japão e, aqui no Brasil, normalmente, ele compõe pratos da culinária japonesa – presente em sushis, sashimis e temakis – e chinesa, além de outras refeições. Ele tem benefícios à saúde, em especial no combate ao colesterol alto e a doenças cardíacas, por conter ômega-3. Pesquisadores da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) constataram que o polvo é um alimento de alto valor nutritivo e biológico por ser de fácil digestão, rico em vitaminas A e B, tendo baixo índice de gordura e colesterol quando comparado a outros mariscos. Esse estudo foi feito com a população da ilha de Guarapuá (BA), que tem o molusco como principal recurso pesqueiro. Mais de 80% dos habitantes de lá inclui o polvo regularmente em suas refeições. Além desses benefícios, o alimento também é fonte de proteínas, ferro, cálcio, fósforo e potássio. Entre todas as fontes de proteína consumidas mundialmente, 24% são de peixes e frutos do mar.

O litoral no Brasil possui, aproximadamente, 7,3 mil quilômetros, e estima-se que o brasileiro consuma cerca de nove quilos de pescado ao ano de acordo com o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA). Isso só colabora para que empresas invistam nesses alimentos que se tornam produtos de comércio para os consumidores de frutos do mar. A procura por polvo cresce consideravelmente pelo sabor, por ser exótico e por estar se popularizando no país. A refrigeração dos pescados bem como dos moluscos é preocupação primordial para que se tenha um alimento fresco ao consumidor final. No passado, o consumo brasileiro de peixes e frutos do mar ainda era relativamente pequeno, considerando que o acondicionamento não era adequado. Hoje, existem refrigerações rápidas que preservam a qualidade destes produtos que, após um descongelamento com o uso de boas técnicas, fazem com que eles sejam como frescos, como pescados na hora.

Foco

A Marithimu’s é uma empresa focada no processamento de frutos do mar diferenciados. Atualmente, trabalha com duas linhas de produtos: conservas e filé de truta e salmão defumados resfriados. Entre as conservas, são produzidas ostra, mexilhão, polvo, truta e salmão defumados. Essa é uma linha diferenciada e prática, pois permite o armazenamento dos produtos sem a necessidade de refrigeração ou congelamento além de estar pronta para o consumo, podendo ser utilizada como um aperitivo ou na elaboração e finalização de pratos principais.

Sobre o molusco, o diretor comercial da companhia, Marcelo Wippel da Silva, diz que “o polvo da Marithimu’s é um dos produtos mais apreciados de nossos mix. Além do sabor incomparável e na medida da defumação, outra característica marcante e apreciada por nossos clientes é a textura macia, dificilmente encontrada e alcançada”. O produto é vendido atualmente em conservas de 100 e 200 gramas. “Estamos trabalhando em um projeto há dois anos para oferecer o produto em embalagens de 200, 500 e 1.000 gramas e nosso objetivo é poder oferecer essa nova apresentação até o final deste ano”, esquematiza Marcelo. Apesar de o país ser um grande produtor de pescados e frutos do mar, o consumidor brasileiro ainda consome pouco pescado. O governo tem investido em ações para melhorar esse perfil e a Marithimu’s tem acompanhado ano a ano um aumento discreto nesse panorama.

O baixo consumo, em grande parte, é justificado pelo preço considerado elevado e, principalmente, pela dificuldade e falta de hábito no preparo desses produtos em casa. De acordo com o diretor comercial, o polvo teve seu consumo aumentado nos últimos cinco anos, especialmente devido à popularização da culinária japonesa entre os consumidores nacionais. Atualmente, o mercado sofre com a sazonalidade no fornecimento, fazendo com que o preço do polvo oscile muito e atinja até preços proibitivos em determinadas épocas. Os frutos do mar são alimentos essenciais para quem pretende seguir dietas saudáveis e ricas em nutrientes. “Peixes, polvos, ostras, mexilhões, camarões, lulas, ente outros, trazem diversos benefícios ao organismo, dos quais podemos destacar o fortalecimento do sistema imunológico, prevenção de doenças relacionadas à memória e ao funcionamento motor, proteção de articulações, prevenção de doenças cardiovasculares, além de auxiliar na redução do colesterol e evitar o diabetes”, salienta Marcelo. O ômega 3 é o poderoso antioxidante encontrado em peixes de água fria, como salmão e truta, e é um verdadeiro aliado da saúde, responsável pela maioria das vantagens nutricionais oferecidas pelos pescados. Para atletas, os frutos do mar também ocupam um lugar especial nas refeições, por serem ótimas fontes de nutrientes como zinco, cálcio, selênio, ferro, vitamina B6 e proteínas de alto valor biológico e gorduras poli-insaturadas.

A nutricionista Cíntia Milene Comelli Odorizzi, da Clinic Food, avalia que a frequência e a quantidade ideal de consumo dependem das necessidades nutricionais e rotina de cada um. “Baseado em estudos científicos, constatamos que, para aproveitar os benefícios desses alimentos e evitar riscos relacionados ao seu consumo (por exemplo, alergias), é recomendada a ingestão de aproximadamente 200 gramas por semana de peixes gordos e 50 gramas por semana de outros frutos do mar”. Para equilibrar a dieta, vale investir naqueles que são considerados menos calóricos, como a ostra (59 kcal), o marisco (74 kcal) e o polvo (82 kcal). Segundo Marcelo, o polvo é um produto muito apreciado pelos consumidores brasileiros. Sua versatilidade na cozinha permite que seja utilizado para o preparo de pratos da culinária brasileira, como uma moqueca, passando pela culinária andina com os ceviches, até a culinária oriental com seus sushis e sashimis. A grande vantagem da utilização do polvo defumado Marithimu’s reside no fato de ser um produto pronto para utilização, pois já se apresenta no ponto de cocção ideal para ser usado. Outro benefício é o fato de não precisar de refrigeração, o que facilita toda a cadeia de distribuição.

Novos hábitos, polvo gourmet

A Lapesca é uma empresa especializada na comercialização de peixes e frutos do mar atuante no mercado interno e externo há mais de 20 anos. A qualidade de seus produtos conquista clientes no Brasil, na Europa e nos EUA. A companhia possui uma linha gourmet de frutos do mar, inclusive o polvo, porcionados e embalados a vácuo, tipo exportação, facilitando, assim, o acesso aos produtos. A Lapesca tem como missão desmitificar o preparo, proporcionando novos hábitos saudáveis de consumo. No cardápio, a empresa tem peixes, camarões, frutos do mar, tais como caranguejo, carne de siri premium, kani, lagosta e cavaca, lagostin, lula, mexilhão, ostra fresca, polvo, vieira e vôngole/berbigão. O produto polvo – tentáculos in natura – vem em embalagem de 800 gramas. O diferencial deste produto está em como ele é capturado. É por meio do sistema de potes e não de arrasto. As ventosas são limpas individualmente com uma escova para não acumularem areia. O polvo é eviscerado e batido em gelo e sal grosso por duas horas, fazendo, assim, com que as fibras sejam quebradas e a carne fique macia depois do cozimento.

Padrão

A empresa Santa Inês Pescados fornece um mix da linha de peixes, crustáceos e frutos do mar. O Padrão de Qualidade Internacional dos produtos comercializados pela Santa Inês Pescados é garantido pelo programa Hazard Analysis Critical Control Point (HACCP), implantado nas indústrias parceiras, aprovado pelo Ministério da Agricultura e que controla a qualidade dos alimentos perecíveis em todo o processo produtivo, desde a origem das matérias-primas até a elaboração e entrega do produto, resultando num produto com alto valor qualitativo. A companhia conta com vários produtos do mar, entre eles, agulhão, agulhinha, atum, badejo, camarão, caranguejo, siri, ostra, sururu, cavalinha, garoupa, lagosta, linguado, lula, merluza, piramutaba, pirarucu, robalo, salmão, surubim, tilápia e o polvo. O minipolvo da Santa Inês é comercializado inteiro em embalagem primária de 1.000 gramas e em embalagem secundária de caixas de 10 quilos. Tem também o polvo inteiro em embalagem primária individual e embalagem secundária de caixas de 20 quilos.
Vale salientar que lula e polvo são diferentes tanto pela estrutura do corpo de cada um quanto pelo comportamento. Enquanto os polvos preferem se arrastar no fundo do mar, as lulas nadam bem perto da superfície. Os polvos podem medir desde cinco centímetros a quase seis metros, contudo, a espécie mais comum e numerosa, batizada de polvo comum, o Octopus vulgaris tem, aproximadamente, 70 centímetros.

Artigo anteriorMais consumidores.
Próximo artigoSorvete e gelato: parece, mas não é
A redação da Food Service News através deste canal, pauta assuntos de cunho financeiro e informativo, nossas matérias abordam novidades do mercado, tendências, dicas e oferecem entrevistas exclusivas. Além disso, a revista está sempre inovando e antecipando tendências, trazendo um conteúdo indispensável para quem deseja investir e saber mais sobre o segmento.

1 Comentário

  1. Os produtos Marithimu’s são de excelente qualidade e estão prontos para consumir com uma boa cerveja ou espumante para acompanhar uma boa companhia

DEIXE UMA RESPOSTA