Foodservice: Serviço Requer Profissionais do Futuro

Food Service, do inglês food = alimento, service = serviço. Além de sua tradução literal para o português, significa refeições preparadas fora do lar. É o segmento no qual o alimento é processado para que, ao final da cadeia produtiva, venha a ser consumido fora do lar. São as refeições feitas no local de trabalho, no local de lazer, em um hotel ou até mesmo em um hospital, ou ainda consumidas em residências, mas preparadas em restaurantes, empresas de produtos congelados, etc. O universo de atuação deste segmento abrange desde grandes cozinhas industriais e redes de fast-food, empresas de catering, bares, restaurantes e similares, escolas, sorveterias, padarias, até o ambulante que vende cachorro quente nas esquinas.

A demanda por refeições prontas fora do lar ocorreu nos EUA no final dos anos 50. Nas décadas de 70 e 80, chegaram as redes de fast-food e os restaurantes “delivery”. Uma das tendências registradas nos anos 90 foi “trazer o jantar para casa”. Variáveis como o maciço ingresso da mão de obra feminina no mercado de trabalho (que tradicionalmente se ocupavam das funções de preparo dos alimentos), o aumento do tempo de deslocamento nos centros urbanos, que impede que as pessoas possam ir se alimentar em casa, a diminuição do tempo gasto nas relações familiares e o avanço das relações trabalhistas, que fornecem uma alimentação de qualidade no ambiente de trabalho ou tíquetes-refeição estão impulsionando e fazendo crescer o mercado de food service.

As conseqüentes mudanças de hábito impostas pelo ritmo acelerado do dia-a-dia também contribui substancialmente para o crescimento do mercado de alimentação fora do lar. A oferta de pratos prontos, congelados ou de preparo instantâneos teve um crescimento de 323% entre 1998 e 2000.

A importância do segmento de alimentação coletiva na economia brasileira se traduz em números grandiosos e somente o desenvolvimento coordenado, o planejamento e a aceleração da profissionalização e a redução da distância entre clientes e fabricantes é que vão traçar este caminho de expansão.

O mercado de food service no Brasil oferece excelentes oportunidades. Mas para que as empresas fabricantes de alimentos e os operadores desta imensa rede de negócios capturem este potencial, é preciso uma reestruturação na cadeia de suprimentos, além da racionalização dos custos e a profissionalização dos serviços.

O mercado parece realmente ser ilimitado. Assim como as oportunidades de emprego crescem a cada dia, há a necessidade de formação específica para satisfazê-lo. A criação de cursos de formação, qualificação e capacitação nessa área é uma resposta imediata a esta demanda. Voltado para pessoas que desejam ingressar neste mercado rapidamente, sem perda de tempo, o curso tecnológico de negócios Alimentação (Food service) se coloca como opção.

Mercado de trabalho para os egressos deste curso parece não faltar. No Brasil, existem mais de um milhão de pontos de vendas de refeições fora do lar. O Departamento Econômico da Associação Brasileira das Indústrias Alimentícias (Abia) estima que nos grandes centros urbanos o número de refeições fora do lar chegue a 30% das refeições totais. De suas despesas com alimentação, os brasileiros destinam 23,7% do total à alimentação fora do domicílio. Os americanos destinam 50% e os europeus quase 70%. O mercado de alimentação vem crescendo 3% ao ano, enquanto o mercado de food service deverá crescer 8,5% ao ano até 2003.

Várias universidades já estão oferecendo cursos nessa área do conhecimento, abrindo perspectivas de aprimoramento acadêmico e profissional através de cursos de formação específica e levando-se em conta as habilidades requeridas pelo mercado. As organizações curriculares destes cursos abordam conhecimentos técnicos em alimentação como ferramentas a serem utilizadas nos negócios e, muitas vezes, conhecimentos de Ciências Gerenciais também são ministrados aos alunos.

Outros cursos visam desenvolver a habilidade de análise, a utilização de novos recursos e ferramentas que constituem hoje condição básica para o sucesso de um negócio na área de alimentação e a capacidade de avaliar e controlar esses recursos e ferramentas. É também objetivo desses cursos capacitar a gerenciar negócios na área de food service.

Alguns cursos também são concebidos para oferecer aos profissionais que atuam no setor – ou que desejam atuar – uma opção de educação no âmbito do ensino superior, com o objetivo de atualizar e ampliar conhecimentos técnicos, fornecendo ferramentas para abertura e gestão de empresas no ramo de alimentação e contribuindo para a formação de mão-de-obra especializada em um setor no qual existe forte demanda por profissionais qualificados.

Assim, as instituições educacionais estão preocupadas em formar profissionais aptos para gerenciar as várias modalidades de negócios, produtos e serviços de alimentação, utilizando as ferramentas gerenciais disponíveis e adequadas a um mercado altamente competitivo. Profissionais acreditados pela confiabilidade na prestação de informações sobre as melhores opções de negócios, demandas, potencial de crescimento e opções de investimento no setor de alimentação. Profissionais dotados de grande capacidade empreendedora, capacitado por amplo conhecimento técnico das matérias vinculadas à administração. Profissionais aptos a desempenhar funções técnicas nas empresas de alimentação, nas áreas de marketing, planejamento, custos e controle, e proficiente no uso de raciocínio lógico e crítico – analítico para a solução de problemas gerenciais.

José Henrique da Silva Junior

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA