Ferramentas de automação: melhor experiência aos consumidores

Quando falamos sobre estratégias para driblar a economia, é natural associarmos à ideia de que os gestores têm direcionado suas estratégias às ferramentas tecnológicas. E, no caso do setor de alimentação fora do lar, o cenário se comprova por meio das plataformas de automação, cada vez mais presentes nos estabelecimentos de food service. Essa tendência foi, inclusive, apontada como uma das mais proeminentes para 2018. Ao menos é o que aponta a crescente diversificação e o investimento nas soluções de automação nos estabelecimentos como bares, restaurantes e lanchonetes.

As ferramentas, por sua vez, otimizam processos que contemplam desde o atendimento até o pagamento do produto. Por isso, será cada vez comum que a experiência dos consumidores se baseie na automatização de cada etapa do fluxo de compra. É o caso, por exemplo, dos terminais de autoatendimento, que também consistem em uma engrenagem importante no processo de automatização do consumo. Uma pesquisa realizada por uma organização especializada em soluções de marketing e negócios, nos releva que a tecnologia é considerada por 50% dos consumidores brasileiros no momento da compra.

Dessa forma, pressupõe-se que já existe uma predisposição, não apenas dos gestores em se aderirem às tecnologias de automação, como também dos consumidores, que demandam por experiências diferenciadas. Ou seja, será cada vez mais comum frequentarmos restaurantes em que os atendentes registrem os pedidos em tablets mediante uma escolha por meio de um cardápio eletrônico, ou terminal de autoatendimento.

O pagamento automatizado, já contemplado pelos aplicativos delivery, por exemplo, também consiste em uma logística diferenciada já adotada por restaurantes, supermercados e até lojas de conveniência. O restaurante Eatsa, em San Francisco, é um exemplo dessa nova tendência. Segundo a publicação do jornal New York Times, no estabelecimento em questão, os clientes encomendam, pagam e recebem sua comida e não chegam a interagir, de fato, com nenhum atendente. Assim sendo, os consumidores já agilizam o processo da compra por um atendimento otimizado por ferramentas de automação, que contempla todas as etapas.

A segurança dos dados dos consumidores também é reforçada, já que o armazenamento será realizado pelas ferramentas especializadas. Assim, são evitados transtornos e problemas de maior magnitude com quem está adquirindo um produto ou serviço.

Em suma, contar com ferramentas que automatizam o estabelecimento food service é uma estratégia assertiva por parte dos gestores, sobretudo aos que visam proporcionar uma experiência positiva aos consumidores, tornando-os clientes por meio de processos otimizados, práticos e seguros. Vale destacar que outros tipos de automatização, como o processo de fazer a comida, também pode estar sendo estruturando, elevando o patamar dos estabelecimentos food service a outro nível experiência.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA