Diversas pitadas de aconchego

Comfort food provoca sentimentos nostálgicos e se expande pelo mundo

“Sabe aquele cheirinho especial vindo da cozinha, que invade os cômodos da casa e acaba ficando para sempre na memória? Ou, ainda, aquele tempero especial que lembra a ‘comidinha’ de mamãe, ou vovó, e que nos desperta as memórias da infância? Para nós, isso é comfort food”, define Paulo Seabra, diretor executivo do Panelinhas do Brasil.
A rede de restaurantes franqueados tipicamente brasileira é um destaque quando se trata desse tipo de alimentação. A empresa oferece aos consumidores comidas que visam um sabor e um tempero únicos, servidas, como o próprio nome da organização sugere, em panelinhas, que são feitas de cerâmica. Mas, afinal, do que se trata o comfort food e por que tem se tornado uma tendência no Brasil e no mundo? Onde começou? Como as pessoas recebem esse tipo de comida? Por qual razão tem feito tanto sucesso e muitas empresas têm apostado nisso?

Alimentação
A valorização desse tipo de alimentação se tornou ainda mais evidente, primeiramente, nos Estados Unidos, há alguns anos. Por lá, ele também é conhecido como pleasant food (comida prazerosa). São pratos que, geralmente, remetem à infância e resgatam sabores e aromas que são capazes de proporcionar alegria e afeto.
E quais são os ingredientes utilizados nessas comidas? Elas são doces ou salgadas? Isso pode variar bastante. Como o comfort food traz consigo aquela ideia de “comida caseira”, as receitas que se enquadram nesse conceito podem ser muito diferentes, dadas as características gastronômicas de cada cidade, estado ou país.
As variações também podem acontecer de lar para lar. Afinal, quase toda família costuma ter uma receita especial, que vai sendo passada de pai para filho e que é capaz de gerar uma sensação boa não somente para o paladar, mas para a mente, resgatando boas memórias e produzindo aconchego.

Êxito
Quando se trata do mercado de alimentação fora do lar, esse tipo de alimentação vem obtendo bastante sucesso por causa do próprio cotidiano das pessoas atualmente. Com uma rotina cada vez mais corrida, o comfort food ganha ainda mais espaço entre os consumidores. Ele acaba atuando como uma espécie de “alívio” e “descanso” em meio ao estresse do dia a dia, como uma volta a tempos em que as coisas pareciam mais simples, como na infância.
Muitos botecos também já aderiram a esse tipo de alimentação. Em vários desses locais é possível encontrar os famosos bolinhos que eram feitos em casa, como de carne seca ou de arroz, por exemplo, agradando a muitas pessoas.

Formas
O comfort food não envolve somente a comida que é servida, mas também mais questões relevantes nesse cenário. Outros fatores, segundo os adeptos desse tipo de alimentação, também são bastante importantes para que os pratos possam gerar ainda mais conforto. Um desses fatores diz respeito à própria maneira de consumir os alimentos. Ao contrário do hábito muito comum de diversas pessoas, que é o de comer com pressa, quem opta por consumir aquela comida caseira e especial, em geral, quer fazê-lo de uma maneira mais demorada, mastigando bem os alimentos e saboreando-os bastante, tornando a experiência gastronômica ainda mais agradável.
A maneira como os pratos são preparados também é algo importante. Aqueles que valorizam tanto o comfort food acreditam, em geral, que o mesmo carinho que é sentido ao se alimentarem deve estar presente no momento em que o alimento é produzido, sendo que cada ingrediente deve ser tratado com bastante cuidado e atenção.
Outra questão que envolve o comfort food diz respeito ao ambiente onde ele é degustado, que precisa ser trabalhado de uma maneira especial. Em estabelecimentos de alimentação fora do lar em que esse tipo de comida é focado, em geral, tudo é pensado para levar mais aconchego para os consumidores. Assim, as pessoas podem saborear um bom prato em uma cadeira confortável, por exemplo, admirando um jardim ou uma decoração mais intimista. Diversos elementos podem ajudar a compor o ambiente e a torná-lo mais atraente.

Investimentos
Apesar de conquistar diversas pessoas por todo o Brasil e pelo mundo, o comfort food também traz alguns desafios para quem deseja investir nesse tipo de alimentação. Um deles, conforme destaca Seabra, é ir na contramão do fast food, da própria correria do dia a dia e também das comidas que são industrializadas. “Para investir nisso, é preciso resgatar a verdadeira ‘cozinha de raiz’, as receitas típicas, e prepará-las cuidadosamente, preservando os sabores de cada ingrediente”, ressalta ele em relação ao assunto.
E é assim que esse esforço, então, traz a sua recompensa — e ela não é somente financeira, mas tem a ver também com a própria recepção por parte dos indivíduos. Seabra afirma que é gratificante ver o sorriso estampado no rosto de alguém que acabou de experimentar um dos pratos do Panelinhas do Brasil. E há também outras vantagens. “Além, é claro, de tornar-se um diferencial competitivo nosso, já que primamos pelas receitas tipicamente brasileiras com sabor caseiro”, diz ele.
Conforme afirma o profissional, para algumas pessoas, comer um prato típico com sabor caseiro no meio da semana é como fugir da rotina e, ainda, da comida do cotidiano. Já para outras, que moram em outra cidade, é como um pequeno passeio pela gastronomia de sua cidade natal. “De um jeito ou de outro, o comfort food mexe positivamente com nossas memórias e emoções”, frisa Seabra. “Esse tipo de comida desperta a memória gustativa ligada à infância e a outros momentos da vida, que nos fazem sentir bem, nos conforta”, pontua ele.

“De um jeito ou de outro, o comfort food mexe positivamente com nossas memórias e emoções”, frisa Paulo Seabra, diretor executivo do Panelinhas do Brasil

Panelinhas do Brasil
Atualmente, o Panelinhas do Brasil conta com cinco anos de atuação no mercado e já possui 30 franquias espalhadas pelo Brasil. No Distrito Federal, são 13 em funcionamento; as demais estão distribuídas por Paraná, Goiás, Rio de Janeiro e também Minas Gerais.
“Além da característica de comida típica regional e caseira, fortemente presente em nossos pratos, há o conforto emocional e a sensação de prazer propiciados pelo consumo destes. Entre os pratos clássicos do cardápio estão bobó de camarão, baião d+, feijoada, galinhada, picadinho brasileiro e escondidinho. Além das famosas ‘panelinhas’, estão disponíveis opções de saladas, sobremesas, lanches, sucos naturais e açaí”, ressalta Seabra. “Nós procuramos oferecer uma comida caseira, saborosa e de raiz. Queremos proporcionar às pessoas uma refeição de qualidade, com preços acessíveis em qualquer praça de alimentação”, diz ele.
A marca, hoje, está investindo em uma recém-inaugurada unidade fabril que irá proporcionar expansão para todo o Brasil. “Além disso, acreditamos que treinamento é fundamental, não só para os colaboradores das unidades, mas também para franqueados. Já temos franquias vendidas, em fase de implantação, para outros quatro estados: Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Sergipe”, afirma o profissional.
A empresa pretende marcar presença em todas as capitais do Brasil; espera aumentar o número de restaurantes nos estados onde já atua e, em breve, abrir o primeiro restaurante em terras paulistas.

Referência
O restaurante Dalva e Dito, que fica localizado em São Paulo, é também uma referência quando se trata de comida no estilo comfort food. O local conta com receitas que são inspiradas em livros de mães, avós, entre outras, que trazem boas lembranças para as pessoas e fazem bastante sucesso entre os consumidores.

Panelinhas do Brasil
www.panelinhasdobrasil.com.br
Dalva e Dito
dalvaedito.com.br

Artigo anteriorRevista 127
Próximo artigoA importância do reposicionamento de marca
A redação da Food Service News através deste canal, pauta assuntos de cunho financeiro e informativo, nossas matérias abordam novidades do mercado, tendências, dicas e oferecem entrevistas exclusivas. Além disso, a revista está sempre inovando e antecipando tendências, trazendo um conteúdo indispensável para quem deseja investir e saber mais sobre o segmento.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA