Chatbots: apostando no atendimento dinâmico, prático e otimizado

O marketing digital, conforme dito em artigos anteriores, é uma vertente que tem auxiliado as organizações de diversas formas, seja por meio da entrega de conteúdos relevantes em canais como mídias sociais, boletins informativos (newsletters) ou por outras soluções que tornem o contato com o consumidor ainda mais diferenciado.

Além das outras ferramentas, os chatbots, definidos como assistentes virtuais que gerenciam mensagens para atender aos usuários, também consistem em uma engrenagem importante do marketing digital. Inclusive, a ferramenta é apontada como tendência para os próximos anos.

Dessa forma, a inteligência tem ganhado cada vez mais espaço no cenário do marketing digital. Prova disso é a estatística que revela que mais de 50% dos clientes preferem se comunicar com uma empresa via chatbot do que por telefone.

Grandes empresas do setor de food service já fazem uso dos assistentes virtuais em seus sites, páginas do Facebook e aplicativos como o Messenger, para otimizar a comunicação com seus consumidores.

Sendo assim, por que não adotar a tecnologia no seu negócio de alimentação fora do lar? A solução é interessante, por exemplo, em estabelecimentos como redes de fast-food, que utilizam o delivery para aumentar as vendas. Com o uso de aplicativos como o WhatsApp, por exemplo, é possível gerenciar mensagens assertivas para otimizar o fluxo de pedidos.

Outra ação interessante é que o usuário possa reservar uma mesa ao entrar em contato com o chatbot ou então se informar se há algum cupom de desconto a ser utilizado em determinado dia durante o acesso ao site ou à rede social do restaurante. O assistente virtual, por sua vez, também pode solicitar o contato (e-mail ou telefone) do consumidor interessado para comunicações futuras, e até mesmo propor uma pesquisa de satisfação após o atendimento, aprimorando a performance desse processo na empresa.

Empresas relacionadas ao segmento de alimentação fora do lar já investem nos chatbots. É o caso do iFood, por exemplo, que intermedia os pedidos via delivery, além de outras marcas de fast-food como Pizza Hut e Burger King, que utilizam os assistentes virtuais em seus sites ou redes sociais para atendimento.

Enquanto interessados ou já adeptos à tecnologia, o importante é planejar estratégias para que o atendimento seja tão eficiente quanto como o executado por um funcionário de carne e osso. Também cabe aos gestores definirem quais canais são mais estratégicos para a implantação da inteligência, a depender do perfil dos usuários.

Os chatbots podem contribuir, e muito, para o segmento de alimentação fora do lar, principalmente promovendo um atendimento mais prático e uma entrega mais dinâmica.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA