Bem-estar: Negócio promissor

Vitaminas de frutas vêm impulsionando modelo de negócio quiosque pelo Brasil

Depois de fazerem sucesso entre as décadas de 1980 e 1990, as vitaminas feitas à base de frutas desapareceram de muitos cardápios. No entanto, nos últimos anos, voltaram à cena como uma opção de alimentação saudável e de negócio de food service para se investir.

Mas por qual razão a produção e venda de vitaminas de frutas andam atraindo o interesse de vários empreendedores pelo Brasil? Uma das respostas pode estar atrelada às mudanças de hábitos do brasileiro, que, conforme pesquisa realizada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pelo Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatística (Ibope), têm se alimentado de maneira mais saudável. Além disso, o mesmo estudo revela que a procura por produtos mais nutritivos cresceu em 32%, assim como os alimentos de qualidade são preferência de 29% dos entrevistados.

Outro levantamento que comprova que produzir e vender vitaminas de frutas pode ser um bom investimento hoje em dia é o realizado pelo instituto Euromonitor e divulgado em fevereiro do ano passado. A pesquisa diz que a venda de produtos naturais cresceu cerca de 12,3% ao ano, entre 2012 e 2016, e que a indústria de alimentos e bebidas saudáveis rendeu R$ 93,6 bilhões em 2016. Com isso, o Brasil ficou em quinto lugar no ranking dos principais países que atuam nesse promissor setor.

Mercado

Com foco em aproveitar esse positivo cenário, Henrique Soré, diretor de expansão da Rede Sucão, conta que a marca, fundada em 1975, passou por expressivas mudanças nos últimos cinco anos. “Em 2013, iniciamos um processo de atualização e modernização, visando, cada vez mais, o mercado de alimentação saudável. Consequência disso foi o franqueamento da marca. Para isso, foram feitos inúmeros estudos e experiências”, explica Soré.

Atualmente, a Rede Sucão conta com 19 lojas, entre unidades próprias e franqueadas espalhadas por três estados brasileiros. “Estamos presentes em São Paulo nas cidades de Campinas, Hortolândia, Santa Bárbara d`Oeste, Itupeva, Sorocaba, Jundiaí, Valinhos e Sorocaba, além de uma unidade em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, e Petrópolis, no Rio de Janeiro. Para abrir uma unidade do Sucão, o investimento total, considerando custos administrativos, equipamentos, obra etc, fica entre R$ 180 mil e R$ 330 mil. Como possuímos mais de um modelo de negócio, sempre buscamos o melhor formato de acordo com o perfil do franqueado”, diz o diretor de expansão da rede.

A atual lucratividade da Rede Sucão gira em torno de 10% e 20% e seu cardápio, que inclui vitaminas de frutas, sucos, smoothies e açaí, é padronizado para todas as unidades. Além disso, também há a oferta de alimentos saudáveis, como lanches naturais, saladas e pratos que vão desde o quibe de girassol com quinoa e rúcula até o arroz integral com legumes e tilápia. “Nosso cardápio divide-se entre a parte de sucos (sucos simples, combinados, funcionais, vitaminas, smoothies, açaí, salada de fruta, frutas da época e creme de iogurte grego), e a parte de comida (saladas, lanches naturais, lanches quentes e pratos saudáveis)”, detalha Soré.

Para o diretor de expansão da Rede Sucão, a produção e comercialização de vitaminas de frutas são mais do que uma tendência, além de ser um setor com próspero futuro.“Diferentemente de moda, que é algo passageiro, o consumo de vitaminas e sucos e, por conseguinte, da alimentação saudável, é algo que já está enraizado em nossa sociedade e cuja tendência é aumentar cada vez mais. Com a facilidade ao acesso da informação, a cada dia, os benefícios de uma alimentação balanceada aparecem. O futuro é promissor e estamos preparados para ele”, afirma.

Vantagens x desvantagens

Soré acrescenta que, assim como todo negócio, a produção e venda de vitaminas de frutas apresenta suas vantagens e desvantagens. No entanto, ele enfatiza que os malefícios desse nicho food service podem ser contornados por meio de uma boa e estratégica gestão.

“No Brasil, temos uma vasta oferta de frutas e legumes. Essa é uma ampla vantagem, visto que podemos contar com insumos de qualidade sempre frescos ao longo do ano inteiro. A desvantagem é que, justamente por se tratar de produtos perecíveis, o manual técnico e operacional tem que ser seguido à risca, tanto para garantir o padrão e qualidade do produto, quanto parar evitar que as frutas e legumes sejam desperdiçados. Além de investimentos nas lojas próprias, também investimos numa cozinha central, onde todos os produtos que compõem nosso cardápio são produzidos e distribuídos para as unidades”, partilha o diretor de expansão da marca.

Modelo de negócio

De acordo com a pesquisa da Associação Brasileira de Franchising (ABF) sobre o desempenho do segundo trimestre de 2017, o modelo de franquias de quiosque no Brasil é o segundo mais popular, com 6,7% das unidades franqueadas. O principal diferencial desse modelo de negócio tão comum quando o assunto é produção e comercialização de vitaminas de frutas está nos menores custos de implantação. Segundo Soré, o formato quiosque apresenta outro grande benefício para os empresários que já atuam nesse ramo de bebidas naturais ou pensam em entrar para essa fatia do mercado food service.

“O formato de quiosque é mais enxuto e a representação das vitaminas e sucos sobre o faturamento é maior que no modelo de loja. Isso por questão de espaço. Um quiosque não tem a mesma disponibilidade física que uma loja e pelo fato de o padrão de consumo ser ainda mais de impulso, no qual o cliente solicita seu produto e sai caminhando com ele em mãos, vitaminas e sucos são produtos ideias nesse sentido”, esclarece.

Outras premissas que o diretor de expansão da Rede Sucão acredita estarem diretamente relacionadas ao sucesso da marca que representa é a variação da oferta de outros produtos saudáveis, além das vitaminas, e o investimento na apresentação, seja no formato quiosque ou não.

“Além de termos uma marca e um layout que chama a atenção de nossos clientes, nós oferecemos uma variedade de produtos sempre de qualidade e a um preço acessível, que atinge a diferentes tipos de demandas ao longo do dia (sucos e lanches em refeições intermediárias e pratos e saladas no almoço e janta). E, ao longo do ano, sempre lançamos novidades no inverno, como sopas e escondidinhos saudáveis. Tudo isso sem tornar a operação complexa, já que possuímos uma cozinha central que garante a qualidade e padrão dos produtos”, complementa.

Ainda conforme Soré, o perfil de cliente Sucão é bastante variado, mas os mais fieis são aquelas pessoas que trabalham fora de casa e não têm tempo de preparar uma alimentação saudável como gostariam.“Nossa marca é muito democrática, sendo muito bem aceita por diferentes tipos de públicos. Prova disso é o sucesso de franquias que estão em praças distintas uma da outra. Porém, para traçar um perfil, o maior público nosso é composto por pessoas que trabalham fora de casa, por universitários e pelo sexo feminino”, define.

Saúde

Que a produção e venda de vitaminas de frutas pode ser um bom negócio não há dúvidas. Porém, realmente, essas bebidas são saudáveis? Segundo a nutricionista Cristiane Coronel, de 34 anos, o consumo de vitaminas de frutas é, sim, um hábito benéfico à saúde, uma vez que é uma forma de o ser humano garantir a ingestão de, no mínimo, uma porção de frutas das três diárias recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

“Um preparado de frutas que contenha uma base líquida variada garante essa meta, além do indicado consumo de fibras, vitaminas, minerais, bons carboidratos e proteínas em uma única bebida e de uma forma prática e rápida”, relata a profissional.

A nutricionista acrescenta que, geralmente, não existe contraindicação na ingestão de vitaminas de frutas. “Somente se houver hipersensibilidade a algum ingrediente, devendo ser esse retirado ou substituído no preparo da bebida. Crianças a partir de 1 ano de idade já podem ingerir vitaminas de frutas e adultos também podem tomar como um lanche ou como aditivo de um lanche. Geralmente, as vitaminas são indicadas no desjejum, como lanches pré ou pós-treino ou ainda como um lanche comum, acompanhando ou não, algo para ser comido”, especifica.

Já sobre as vantagens nutricionais das vitaminas de frutas e sua comum comercialização hoje em dia, Cristiane diz que esse tipo de bebida pode ser uma maneira de “oferecer ingredientes que o indivíduo comumente não consome porque não gosta, porque não acha prático ou não possui tempo de preparar em casa. Estando em uma bebida nutritiva que tenha mistura com outros ingredientes, sua aceitabilidade do paladar fica maior e garante a ingestão de um alimento considerado completo para lanches”.

Entretanto, a nutricionista também alerta que “o preparo requer cuidados de boas práticas para que não haja risco de contaminações. Deve ser evitado seu consumo em locais que não possuem estrutura suficiente para higienização das matérias-primas e não acondicionamento adequado dos ingredientes, como feiras, quiosques, por exemplo. Podendo ocasionar intoxicações alimentares aos consumidores”.

Sucão Lanches
www.sucaolanches.com.br

Cristiane Coronel
www.cristianecoronel.com.br

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA