Autoatendimento e Food Service: sirva-se desta parceria de sucesso

O constante aprimoramento tecnológico trouxe mudanças significativas em larga escala, sobretudo quanto à forma de lidarmos com determinados contextos. Seja em âmbito social ou corporativo, a tecnologia, hoje, é capaz de permear as mais distintas formas de relação. E o setor food service, por sua vez, também está incluído neste panorama.

Um recente estudo realizado pela Croma Marketing Solutions, organização especializada em soluções de marketing e negócios, apontou que a tecnologia é considerada por 50% dos consumidores brasileiros no momento da compra. O dado é relevante e nos orienta quanto ao comportamento atual dos usuários.

Ainda na mesma pesquisa, 54% dos entrevistados afirmaram a utilização de aplicativos no momento da compra. Por sua vez, 45% ressaltaram que já fizeram uso de sistemas de autoatendimento. As informações nos revelam, sobretudo, o potencial que a tecnologia alcança no cenário de refeições fora do lar.

Apontados como tendências para os próximos anos, os softwares de autoatendimento têm ganhado cada vez mais relevância no cenário food service. Provavelmente você já entrou em contato com tais sistemas em aeroportos ou cinemas, por exemplo.

Em um cenário em que os consumidores se mostram mais exigentes, a flexibilidade das empresas de alimentação fora do lar é essencial para o seu progresso. Dessa forma, os sistemas de autoatendimento têm sido associados como ferramentas que agregam muitos benefícios à companhia que os adotam.

Os pontos de destaque comumente ressaltados são a praticidade no atendimento, que evita transtornos (filas, longa espera) e equívocos nas comandas, além da customização dos pedidos. A agilidade, permitida pelo sistema de autoatendimento, também surge como solução à classe de consumidores que preza pela compra em menor tempo.

Vale lembrar que relevantes redes fast food, como McDonald’s, Burger King e Wendy’s, já aderiram ao autoatendimento e têm colhido bons frutos por meio da tecnologia. É interessante observar como algumas delas adotam diferentes estratégias a partir do software.

A rede de fast food norte-americana Caliburger, por sua vez, investiu no autoatendimento a partir do reconhecimento facial biométrico durante o cadastro. Feito o processo, basta apenas o cliente sorrir para o terminal para acessar seus dados cadastrais. Uma maneira interessante de fidelizar seus clientes.

Ainda sobre a temática de autoatendimento, a Criteo, especialista em solução em marketing, revelou em sua análise de e-commerce mundial que, no Brasil, 48% das compras em varejo são realizadas por meio de aplicativos e web mobile.

O resultado nos evidencia que o smartphone também consiste em um recurso de autoatendimento, seja dentro ou fora do estabelecimento food service. A mobilidade também é um aspecto de constante crescimento e relevância.

Do ponto de vista dos gestores, o autoatendimento realizado por meio do smartphone é uma forma de otimizar custos, sobretudo com mão de obra. Dessa forma, reduz-se o gasto, e o atendimento é realizado de forma ainda mais assertiva.

Que a tecnologia de autoatendimento tem ganhado espaço no cenário food service, e fast food, é inquestionável. São inúmeras as formas de como executá-lo, a depender da estratégia adotada pela empresa. Resta apenas que cada empreendedor encontre a sua, e, a partir disso, aumente sua abrangência e relevância no mercado.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA