Foco no conceito

Gastronomia autoral é a escolha de diversos estabelecimentos que têm se destacado no mercado

Gastronomia autoral. Diante das muitas possibilidades que são oferecidas pela área de alimentação fora do lar para quem atua nela, o investimento nesse tipo de cozinha pode gerar ótimos frutos e tem sido uma opção trabalhada por vários lugares pelo Brasil.
A criatividade é um dos pontos altos desse tipo de gastronomia, sendo uma característica que é capaz de encantar diversos consumidores, inclusive fidelizando-os. Estar atento àquilo que os ingredientes podem ofertar e à forma diferenciada como eles podem ser trabalhados pode ser essencial dentro de uma série de estabelecimentos do segmento.
Dessa forma, são vários os locais que optam por uma gastronomia autoral, promovendo boas experiências para os frequentadores, aumentando os seus números.

Atuação
Unidades dos restaurantes Beijupirá ficam localizadas no Empório Gourmet Reserva do Paiva, no município do Cabo de Santo Agostinho, em Pernambuco. Esse polo gastronômico ainda abriga lanchonetes e outras operações que são destinadas à alimentação. O espaço conta com paisagens naturais e com uma infraestrutura especial. O empreendimento compreende ainda marcas como Pizza da Praça, Carmem Delicatessen, Motor Burger & Meals, entre outros.
De acordo com João Didier, empresário à frente do Beijupirá, o destaque do estabelecimento é justamente a gastronomia autoral e criativa. Conforme o profissional ressalta, foi feito um menu especial, que conta com determinadas particularidades. A comida, no entanto, não é o único destaque. O lugar onde fica o estabelecimento também contribui para que ele seja uma opção procurada pelos consumidores.
“Criamos um cardápio diferenciado que mistura frutos do mar com ingredientes regionais sem perder a elegância e a sofisticação. Além disso, a localização é outro ponto forte, pois ele está situado na praia e conta com uma vista belíssima para o mar”, afirma ele.
Didier frisa que o grupo Beijupirá, que engloba restaurantes e pousadas, já possui mais de 20 anos de história, e que tudo isso teve início em uma conversa informal. Diversas ideias foram dadas, e elas se transformaram em algo real posteriormente. Como ele relata, o negócio foi crescendo ao longo do tempo e se estabelecendo no mercado.
“Tudo começou durante uma brincadeira com minha irmã e meu ex-cunhado. Confabulamos a respeito de um local descontraído para receber os amigos, onde poderíamos brincar com algumas receitas. Depois de um tempo, resolvemos tirar a ideia do papel e deu certo. Atualmente, sou sócio do restaurante há 16 anos e, de lá para cá, abrimos outras unidades, em cidades diferentes e de grande apelo turístico, como Olinda, Ipojuca (Porto de Galinhas) e Tamandaré (Praia dos Carneiros), além desse que funciona no Empório Gourmet Reserva do Paiva. Acho que o restaurante se estabeleceu com sucesso graças à inovação que trazemos ao cardápio e à decoração”, afirma.
Mas investir em uma boa comida não é tudo. Como destaca Didier, diversos outros aspectos são pensados para que se possa conquistar os consumidores, promovendo uma junção de fatores que levam a bons momentos. Para ele, é preciso “ter cuidado com o atendimento e outros detalhes importantes, como decoração, música e iluminação”, diz.
O profissional afirma que há um investimento muito grande no espaço do Beijupirá. “Queremos proporcionar um ambiente agradável e bem-humorado para que os clientes desfrutem de uma experiência nova e prazerosa”, conta ele.

Segmento
Para que se possa investir na área de alimentação, Didier ressalta que, primeiramente, é necessário que a pessoa goste daquilo que ela faz, e isso não somente no que diz respeito à questão da gastronomia, mas também “no cuidado com o espaço, motivação da equipe, música, iluminação… Tudo é importante”, diz ele. Pensando em tudo isso, haverá benefícios, como os clientes saindo felizes do local e superando as expectativas que eles tinham. Dessa maneira, segundo o profissional, é possível virar uma referência no segmento.
Já em relação aos desafios, Didier diz que o maior deles é sempre manter a qualidade nos pratos e serviço. “Não se pode chegar a um nível de excelência no atendimento e depois cair”, ressalta. De acordo com ele, isso envolve uma série de fatores, sendo que o profissional cita alguns desses elementos, “como ter uma boa relação com fornecedores fiéis e sérios, e a motivação da equipe”, destaca.

Crescimento
A crise econômica que vem afetando o país tem sido muito discutida por todos já há algum tempo. Quando se trata de estabelecimentos que precisam se manter no mercado, o assunto tem sido debatido sob diferentes pontos de vista, por profissionais de áreas distintas, que buscam soluções assertivas para os empreendimentos. Diversas atitudes vêm sendo tomadas para que muitos locais não sejam fechados, mas, mais do que isso, para que eles possam, inclusive, apresentar crescimento mesmo nesse cenário de dificuldades.
Para Didier, para que se possa continuar crescendo em meio à crise, algumas atitudes precisam ser tomadas. Uma delas é valorizar as chefias e dar oportunidades de crescer juntos.
“Também é importante manter as casas organizadas, com tudo em dia (impostos, licenças e leis trabalhistas). Dessa forma, fica mais fácil encontrar parceiros para novos empreendimentos. E, claro, manter a excelência na qualidade da comida e serviço”, destaca ele.
Para o profissional, cada detalhe em um negócio de alimentação faz a diferença e tudo tem que ter identidade própria, ter vida. Ele ressalta que o relacionamento também é um fator que é importante dentro dos estabelecimentos. “A relação do proprietário com a equipe de colaboradores também é extremamente importante. É preciso fazer com que eles permaneçam motivados e tranquilos para que vistam a camisa da casa e transmitam alegria para os clientes”, afirma.
Além disso, Didier frisa que a proposta do estabelecimento é algo bastante significativo e que ela pode, inclusive, ajudar bastante, mesmo diante de alguns fatores que podem não apresentar características muito positivas. “Se o ponto, por exemplo, não é tão bom, mas a proposta e o produto são bons, vai dar certo. Pode até demorar um pouco, mas vai ser sucesso. Tendo uma boa comida, ambiente legal, bom atendimento e identidade própria, não tem como dar errado. Pode ser apenas questão de tempo”, diz.

Aprendizado
Diante de todas as particularidades que são apresentadas no setor, muitos também são os aprendizados que são conquistados por meio da atuação no segmento de alimentação. Didier, por exemplo, cita alguns deles. O profissional ressalta, por exemplo, que a gastronomia não é um ramo para “viver de glamour”. De acordo com ele, para que se possa dar certo, é necessário ter determinados tipos de atitudes: “é preciso pegar no pesado, acordar cedo, estar dentro do restaurante, checar a qualidade de todos os produtos que entram, ser humano com a equipe e entender que erros podem acontecer; o que se deve fazer é trabalhar para que eles não se repitam. Além disso, como em todo empreendimento, sempre temos que inovar e acompanhar as mudanças, mas sem perder a alma do negócio”, finaliza ele.

Artigo anteriorPlanejamento e Estratégia
Próximo artigoDo frozen yogurt à pizza
A redação da Food Service News através deste canal, pauta assuntos de cunho financeiro e informativo, nossas matérias abordam novidades do mercado, tendências, dicas e oferecem entrevistas exclusivas. Além disso, a revista está sempre inovando e antecipando tendências, trazendo um conteúdo indispensável para quem deseja investir e saber mais sobre o segmento.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA